Pesquisa no Google

 
bove=""

 

Transbraz

CLIQUE AQUI E ACESSE O SITE!

O Centenário

Informatic Center

Dr. Gilson Brito

Vêronica alexandre

Dr. Júnior Prata

Costa Lira

ASB Imobiliária

Dr. Roberto Calumbí

Curta o Blog no Facebook

Login Form

Coluna Fogo Cruzado – 30 de dezembro
Ao declarar que considera “difícil” uma aliança do PSB com o PT em torno da candidatura de Lula a presidente da República, o governador Paulo Câmara sinalizou concretamente que seu partido perdeu o interesse por uma composição com o líder petista. O acordo chegou a ser ventilado pelo próprio Lula e se daria nas seguintes bases: ele (Lula) apoiaria a reeleição do atual governador e teria o apoio do PSB à sucessão do presidente Temer. Só que, para levar ainda esse entendimento, muitos obstáculos teriam que ser superados. O PSB de São Paulo, por exemplo, que vai governar aquele Estado a partir de abril, é um aliado histórico do PSDB e quer distância do Partido dos Trabalhadores. Por outro lado, a maioria dos diretórios regionais do PT não quer negócio com o PSB porque esse partido, chamado de “golpista”, apoiou o processo de impeachment de Dilma Rousseff. Em razão disso, o senador Humberto Costa, que está apostando nesta aliança para ver se garante a reeleição, está correndo o sério risco de ficar com o pincel na mão. Se o PSB em dado momento externou interesse por uma aliança com o PT, do olho na popularidade de Lula, já se desinteressou por esse entendimento.

Renovação do Senado
Serão renovados em outubro próximo 54 dos 81 senadores, sendo que a maioria deles não voltará para Brasília. Do PT correm sério risco de sequer serem candidatos os senadores Humberto Costa (PE), Gleisi Hofmman (PR) e José Pimentel (CE). Os três, para continuar na política, examinam a hipótese de disputar vaga na Câmara Federal.

Faltou Jorge – Na coluna de ontem, em que foram mencionados os nomes dos caruaruenses que compuseram chapa majoritária em Pernambuco para vice-governador, faltou citar o de Jorge Gomes (PSB) que foi vice de Arraes entre 1995-1998. Além dele, foram vices Roberto Fontes (1991-1994) e João Lyra Neto (2007-2014).

Promessa vã – Só quem não conhece a área econômica do governo Temer acreditou na promessa do presidente de liberar R$ 2 bilhões para os municípios neste final de ano. Faltou combinar com o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, a quem cabe a palavra final sobre liberação de recursos. Se Temer disser “sim” e Meirelles disser “não”, vale a palavra do ministro.

Teste de rua – O prefeito de Jaboatão, Anderson Ferreira (PR), não só resgatou o “réveillon” do município que deixou de ser comemorado na gestão do seu antecessor, Elias Gomes (PSDB), como irá circular amanhã pela orla de Piedade/Candeias para testar sua popularidade.

Da terra – O prefeito do Recife, Geraldo Júlio (PSB), deverá fazer com o próximo carnaval o mesmo que fez com o “réveillon”: montar uma grade musical com artistas da terra. É o que faz Salvador todos os anos, com sucesso total e absoluto.

Filhos ilustres – É decisão já tomada pela prefeita de Surubim, Ana Célia Farias (PSB), prestar uma homenagem até o final de sua gestão a dois grandes ícones da terra: Lourenço Fonseca Barbosa (“Capiba”) e Abelardo Barbosa (“Chacrinha”). Um deverá ser nome de parque e o outro de teatro ou de avenida. A viúva de “Capiba”, Dona Zezita, está morando lá.

Hora do salto – A deputada Priscila Krause (DEM) está indecisa entre disputar a reeleição ou uma vaga na Câmara Federal. O salto agora seria oportuno, pois ela desempenha um mandato na Assembleia Legislativa que a credencia a trocar o Recife por Brasília.

Até maio – O desejo do vice-governador Raul Henry não é apenas vencer Fernando Bezerra Coelho na disputa que ora travam pelo controle do PMDB pernambucano, e sim arrastar a “briga jurídica” para além de abril a fim de inviabilizar a candidatura do senador ao governo estadual.
Nas ruas – O senador Armando Monteiro (PTB), pré-candidato ao governo estadual, tem revelado certa timidez no contato direto com o “povão”. Foi o que se constatou em Garanhuns, no início desta semana, quando o prefeito Izaías Régis (PTB) circulou com ele e o deputado Álvaro Porto (PSD) pelas ruas do centro.
Agora ou nunca – É inegável o esforço que tem sido feito por Paulo Câmara para melhorar a segurança pública em Pernambuco, algo que tem desgastado muito a sua imagem. O governador está investindo nessa área muito mais do que investiu o seu antecessor, Eduardo Campos. Mas se os resultados não aparecerem até meados de 2018, sua reeleição estará seriamente ameaçada.


Copyright © 2017. All Rights Reserved.