Transbras
O Centenário
Costa Lira
Informatic Center

Dr. Roberto Calumbí

Dr. Gilson Brito
Centro Clinico
Verónica Alexandre
Deixe Seu Like

PSB acha o seu “Huck” mas ainda não o fez seu candidato

Coluna Fogo Cruzado – 17 de abril de 20189

O ex-ministro Joaquim Barbosa aguarda o sinal verde do PSB para lançar-se candidato

Alas do PSB de Pernambuco conseguiram convencer o ex-ministro Joaquim Barbosa a se filiar ao partido para eventualmente ser seu candidato a presidente da República. Acharam o “Huck” que tanto queriam para ser a “versão 2018” de Eduardo Campos, que não pôde ser candidato em 2014 porque um acidente estúpido tirou-lhe a vida. Barbosa é um “Huck” menos sofisticado que o apresentador da Globo. Mas é igualmente conhecido por milhões de brasileiros por ter sido o primeiro negro a presidir o STF e o relator do processo do mensalão, que selou o destino de José Dirceu, Genoíno, Delúbio Soares e outros próceres do PT. Ele ainda não se assume como candidato porque espera o sinal verde do partido, mas indiretamente já fez a sua parte. Apareceu na mais recente pesquisa do Datafolha com 9% de intenções de voto, em média, superando o tucano Geraldo Alckmin que governou São Paulo quatro vezes. A pergunta que se faz agora é o que o PSB fará com ele. Se não lançá-lo candidato, estará jogando fora um baú de votos. E se lançá-lo corre o risco de vê-lo “cristianizado”, pois ele não terá o apoio de sua principal estrela na atualidade: o governador Márcio França. Barbosa tem potencial para crescer nas pesquisas (como Huck também teria), chegar ao segundo turno e ganhar a eleição, dependendo do adversário. Porque a nação parece cansada de “caras velhas” (Marina, Ciro, Alckmin, etc.) e aparentemente sedenta de uma “cara nova”. A incógnita é como se comportaria na cadeira de presidente, sabendo-se que não gosta de política e não tem perfil nem paciência para lidar com um Congresso onde deverão estar representados pelo menos 30 partidos.

Empecilho às alianças

Humberto Costa (PT) já diz abertamente que gostaria de ser candidato à reeleição na chapa de Paulo Câmara (PSB) por achar que representa Pernambuco no Senado com dignidade e altivez. Diz também que eventual candidatura de Joaquim Barbosa (PSB) a presidente seria um “empecilho” às alianças regionais entre PT e PSB, que em Pernambuco está bem encaminhada.

A troca – Gleisi Hoffmann (PT) e Carlos Siqueira (PSB) terão novo encontro esta semana para tratar da aliança entre seus partidos em PE, que envolve também MG. O PT aceita apoiar a reeleição de Paulo Câmara, desde que o PSB apoie a reeleição de Fernando Pimentel (MG).

Perto do povo – Sertânia é um dos município de PE que mais têm distritos: 12. E para não ficar longe do povo o prefeito Ângelo Ferreira (PSB) lançou o programa “Sertânia em ação”, começando por Cruzeiro do Nordeste. É similar ao “Prefeitura nos bairros” que Jarbas Vasconcelos (MDB) lançou como prefeito Recife.

A demagogia – O Congresso aprovou, demagogicamente, a redução do horário eleitoral dos partidos políticos. Como teremos este ano uns 20 candidatos a presidente da República, cada qual terá tempo para dizer apenas “Meu nome é fulano”, com fez Enéas Carneiro em 2006.

Sem tempo – Temer, Meirelles (MDB), Rodrigo Maia (DEM), Collor (PTC) e Paulo Rabello de Castro (PSC) vão se nivelar a Eymael (PSDC) e Levy Fidélix (PRTB) se forem candidatos a presidente da República. Sequer terão tempo de TV para se comunicar com a população.

O convicto – Depois de 40 anos no PCdoB, Aldo Rebelo (SP) mudou-se para o PSB em 2017 (para tentar ser candidato a presidente) e agora para o Solidariedade com o mesmo objetivo. Isso é que é convicção comunista!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *