Dr. Gilson Brito

CLIQUE NA IMAGEM PARA AMPLIAR

Clínica Santa Lúcia
Casa Shopping Center
Dr. Diego Aragão
O Centenário
Costa Lira
Informatic Center

Dr. Roberto Calumbí
Eduardo da Fonte

Centro Clinico
Deixe Seu Like

Governador deixa timidez de lado e pede audiência a Jair Bolsonaro

Governador recomendou aos seus secretários que vão a Brasília através de recursos

O governador Paulo Câmara deixou de lado sua conhecida inibição política e ficou de pedir ma audiência ao presidente Jair Bolsonaro o mais breve possível. Foi a fórmula que encontrou para ir suavizando o temperamento do presidente, que ficou bastante contrariado com a ausência dos governadores do Nordeste em sua posse. Paulo Câmara caiu na real, após a reunião coletiva com o seu secretariado, sábado passado, no Palácio das Princesas, em que foram debatidas estratégias políticas para se chegar mais rápido ao governo federal. Aos secretários deu-lhes atribuições para procurar os ministros de suas respectivas pastas a fim de testar a sinceridade do presidente, que vem acenando cada dia que passa com uma governança que seja “Mais Brasil e menos Brasília”. Isso sensibiliza os governadores, pois todos eles estão passando por uma brutal crise de caixa, arrecadando apenas o suficiente para honrar o pagamento da folha e bancar as despesas do custeio, No encontro com Jair Bolsonaro, Paulo Câmara deixará o presidente pelo menos informado sobre as grandes obras federais que estão inconclusas em Pernambuco – Transnordestina, a transposição do São Francisco e da Adutora do Agreste. O dinheiro pode até não vir agora, mas abrir um canal de comunicação com a Presidência da República é urgente e necessário.

Pátria Amada, Brasil!

Esta frase, retirada do Hino Nacional, será o slogan do governo do presidente Bolsonaro. Foi uma sacada inteligente que está em perfeita sintonia com a linha ideológica do seu governo. O slogan “Brasil – Ame-o ou deixe-o”, marca da ditadura militar, foi deixado de lado. Com esse novo slogan o ele pretende ressuscitar um tipo de nacionalismo que sumiu do país desde 1979.

Sugestão – Ex-prefeito de Bonito e ex-presidente da Amupe, o economista Laércio Queiroz sugere ao governador Paulo Câmara que convoque também a bancada federal para tratar unicamente das questões do Estado, já que Pernambuco não tem ninguém no time de Bolsonaro.

Duas promessas – Tanto Paulo Câmara como Bolsonaro prometeram na campanha pagar o 13º aos beneficiários do Bolsa Família. Se o presidente não voltar atrás, não tem sentido Paulo Câmara pagar esse benefício pela segunda vez. É pegar o dinheiro e investir outra coisa.

Terceira via – O médico piauiense Aloizio Coelho, vai se lançar cândido a prefeito de Araripina onde teve votação expressiva para deputado estadual. Pretende entrar como “terceira via”, combatendo o prefeito Raimundo Pimentel (PSL) e a deputada Roberto Arraes (PP),

Indicação – A equipe de transição do governo Bolsonaro indicou o pernambucano Alfredo Bertini para a direção da Fundação Joaquim Nabuco, no Recife, mas ele ainda precisa do aval do ministro Onyx Lorenzoni. Por lá passaram Fernando Lyra e Luiz Otávio Cavalcanti.

O técnico – Inspirado em Eduardo Campos, que fez de Paulo Câmara o seu sucessor, o ex-governado da Paraíba, Ricardo Coutinho (PSB), usou a mesma tática. Seu candidato e atual governador João Azevedo (PSB) venceu em 2009 das 223 cidades do Estado, Lucélio Cartaxo (PV) em nove e José Maranhão (MDB) em cinco. Cartaxo venceu em Campina Grande.

Diálogo com Bolsonaro é o melhor caminho para Paulo Câmara 

O governador Paulo Câmara foi eleito em 2014 e assumiu o cargo em 2015 no meio de uma crise política e econômica sem precedentes. Nas eleições de 2014 apoiou Aécio Neves e sofreu retaliações do governo federal durante a gestão de Dilma Rousseff, até que veio o impeachment que culminou na chegada de Michel Temer ao Palácio do Planalto.

O PSB, que deu os votos necessários para retirar Dilma Rousseff, não quis integrar oficialmente o governo Temer, e mais uma vez Paulo Câmara enfrentou dificuldades como a liberação para contrair empréstimos e a demora para conseguir a autonomia do Porto de Suape, somente conquistada no apagar das luzes de 2018.

Passado o processo eleitoral, Paulo Câmara foi reeleito ainda no primeiro turno e viu Jair Bolsonaro ser eleito presidente da República contra a vontade da maioria dos pernambucanos. Talvez os números obtidos por Fernando Haddad em Pernambuco tenham encorajado o governador a adotar um tom mais beligerante em relação a Bolsonaro, porém, esse tom em nada acrescenta a Pernambuco, muito pelo contrário, dificulta ainda mais a gestão de Paulo Câmara, que precisa muito dos recursos federais para destravar obras e projetos no estado.

Ontem, talvez orientado por gente menos xiita, Paulo Câmara decidiu fazer um aceno ao presidente ao dizer que estava pleiteando ainda para janeiro uma reunião com Bolsonaro. É isso que se espera do governador, que tem uma característica conciliadora desde o tempo em que assumiu a secretaria de administração no primeiro governo Eduardo Campos. Se Paulo Câmara quiser imprimir um governo de entregas, ele precisa fortemente do governo federal, e o diálogo é a palavra de ordem, onde no fim das contas os pernambucanos só terão a ganhar com uma relação cordial e republicana entre o governador e o presidente, ainda que politicamente estejam em lados opostos, mas por Pernambuco eles estão condenados a se entender.

Malha fina – A prefeita de Itaíba, Maria Regina (PTB), caiu na malha fina do Tribunal de Contas do Estado de Pernambuco por dez irregularidades que constituem crimes de responsabilidade e improbidade administrativa, dentre elas a prestação de contas incompleta e o não recolhimento das contribuições previdenciárias devidas. A prefeita esta passível de cassação do mandato conquistado em 2016 por conta destas irregularidades.

Incentivo – A pré-candidatura do deputado federal eleito André Ferreira (PSC) a prefeito do Recife vem ganhando incentivos de todos os lados. Por ser um parlamentar alinhado com o presidente Jair Bolsonaro, André está sendo solicitado por eleitores do presidente a ingressar na disputa pelo executivo municipal. Em 2018 ele foi um dos deputados federais mais votados do estado e do Recife, onde já foi vereador por três mandatos.

Decidido – O deputado estadual Diogo Moraes (PSB), atual primeiro-secretário da Assembleia Legislativa de Pernambuco, entrou definitivamente na disputa pela primeira vice-presidência da Casa. Ele disputa internamente com os colegas de partido Aglailson Victor e Simone Santana, que já estavam travando uma briga pela indicação.

Confiança – O prefeito Geraldo Julio oficializou João Guilherme Ferraz como secretário de Governo em substituição a Sileno Guedes, que assumiu a secretaria de Desenvolvimento Social no governo Paulo Câmara. A escolha de João Guilherme não é necessariamente uma surpresa, pois ele goza da extrema confiança do prefeito, porém ele sempre foi muito discreto durante a gestão de Geraldo Julio e agora não terá mais como manter a discrição.

2020 – O vereador do Cabo de Santo Agostinho, Arimatéia (PSDB), vem sendo estimulado por empresários, lideranças comunitárias e religiosas, além de alguns deputados a disputar a prefeitura do Cabo em 2020. Arimatéia hoje é o principal personagem da oposição ao governo municipal, uma vez que seu grupo político saiu dizimado das urnas no ano passado.

Destino – Após realizar um trabalho extraordinário à frente do MEC, o deputado federal Mendonça Filho foi convidado para assumir uma diretoria na Fundação Lemann. Mendonça ainda não tinha decidido sobre seu caminho, mas agora bateu o martelo e irá mesmo atuar na fundação, que tem trabalhos voltados para a educação. Mendonça é um excelente gestor e terá a oportunidade de dar continuidade ao seu trabalho realizado no MEC.

Inocente quer saber – Por que os deputados voltaram a reclamar da articulação política do Palácio?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *