1-banner1500x363

GLOBO IMPLODE FLÁVIO BOLSONARO: PAGAMENTO SUSPEITO DE R$ 1 MILHÃO

Rodrigues Pozzebom/Agência

“Um novo trecho do relatório do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf), sobre movimentações bancárias atípicas de Flávio Bolsonaro, aponta um pagamento de R$ 1.016.839 de um título bancário da Caixa Econômica Federal. O Coaf diz que não conseguiu identificar o favorecido. Também não há data e nenhum outro detalhe do pagamento”, informa o portal G1, sobre reportagem veiculada no Jornal Nacional na noite deste sábado 19. Além de mais uma bomba contra Flávio Bolsonaro, o Jornal Nacional deste sábado destacou ainda um memorando da Corregedoria da Receita Federal que critica os cortes de cargos e setores no órgão, o que significaria, segundo o documento, um “desmonte” e pode comprometer seriamente o trabalho da Receita no combate à corrupção. “O silêncio do Sergio Moro está ensurdecedor”, postou Felipe Neto, um dos maiores youtubers do Brasil, que tem sido um crítico contumaz da família Bolsonaro. E masi -“Quem vaza para o jn os documentos do COAF que atiram no peito do Bolsonaro? O primeiro suspeito é o Moro!”, diz o jornalista Paulo Henrique Amorim, da Record, sobre a reportagem divulgada na noite de ontem, no Jornal Nacional, que mói o senador eleito Flávio Bolsonaro (PSl-RJ); a reportagem indica que Flávio recebeu 48 depósitos fracionados, totalizando R$ 98 mil, com dados recebidos de um relatório do Coaf, órgão subordinado ao ministro Sergio Moro.

Defend Democracy in Brazil Committee: <p>protesto ny</p>

Um grupo de mulheres brasileiras protestou neste sábado 19 contra o fascismo e o governo Jair Bolsonaro em Nova York. O ato fez parte do 3th Women’s March, que aconteceu também em Washington e dezenas de cidades dos Estados Unidos; as brasileiras também exigiram justiça por Marielle Franco e denunciaram perseguição às imigrantes latinas e às indígenas.

Para Alex Solnik, articulista do 247 e membro do Jornalistas pela Democracia, “Bolsonaro fez a escolha errada ao declarar guerra à Globo logo no início do governo, ameaçando limar as milionárias verbas publicitárias e o famoso BV”; mesmo sem a força dos tempos de Roberto Marinho, a emissora do Jardim Botânico não terá outra opção senão partir para cima de Bolsonaro; “questão de sobrevivência”, diz Solnik