1-banner1500x363

Nem mesmo o DEM de Onix se assume como governista

Coluna Fogo Cruzado – 1º de março de 2019

O presidente Jair Bolsonaro trocou o líder do governo na Câmara, saiu o deputado Major Vitor Hugo (PSL-GO) e entrou a deputada Joyce Halsseman (PSL-SP), porém a base governista no Congresso ainda carece de arrumação. Não se sabe ao certo quantos partidos desejam fazer parte da base governista e muito menos com quantos parlamentares essa base será constituída. Sabe-se de certeza, até agora, que apenas o partido do presidente – PSL – assume-se como governista. Nem mesmo o Partido Democratas (DEM) se assume como tal, malgrado ter sido contemplado com três ministérios (Casa Civil, Agricultura e Saúde) e mais recentemente ter abocanhado as presidências da Câmara e do Senado. É certo que o senador Davi Alcolumbre (AP) e o deputado Rodrigo Maia (RJ) não se tornaram presidentes por serem filiados ao DEM mas o fato de não terem tido a oposição do Palácio do Planalto ajudou bastante. Ambos parecem decididos a ajudar o presidente a aprovar a reforma previdenciária, mas querem também que Bolsonaro faça a sua parte, ou seja, escolha um maestro para comandar a orquestra governista, que é numerosa mas está desafinada.

Vida curta

Desde que Bolsonaro escolheu um deputado de primeiro mandato – Major Vitor Hugo – para liderar a bancada do governo na Câmara Federal sabia-se que o rapaz teria vida curta. Pra lidar com uma base de cerca de 350 deputados, tem ser alguém experiente, traquejado na vida parlamentar e que conheça o Regimento Interno. O major não atende a nenhum desses requisitos.

Sem dinheiro público

Pelo segundo ano consecutivo, o prefeito de Olinda, Professor Lupércio (SD), promete realizar o carnaval sem dinheiro público. Tudo estaria sendo bancado por empresas privadas. O prefeito acertou este ano na ornamentação da cidade, que está um primor.

Quem conhece mais?

Murilo Cavalcanti, secretário de Segurança Urbana da prefeitura do Recife, conhece mais a Colômbia do que o ministro Ricardo Valez (Educação) o Brasil. Murilo já foi 30 vezes a Bogotá e escreveu um livro sobre o sucesso das políticas de combate ao crime naquele país. Velez, ministro da Educação do Brasil, nada conhece sobre o nosso país.

O bolsonarista

Tornou-se um dos mais convictos bolsonaristas da Câmara Federal. O pai, que bateu pesado no então candidato do PSL a presidente, decidiu não interferir na atuação parlamentar dos dois filhos que são deputados – Silvinho e João Paulo (Avante).

Luta solitária

Por enquanto, a luta dos deputados Felipe Carreras (PSB) e Alberto Feitosa (SD) contra o leilão do Aeroporto Internacional dos Guararapes no próximo dia 15 não teve repercussão no governo estadual. O governador Paulo Câmara mantém-se afastado da querela.

Qual a alternativa? 

Até agora, a voz mais radical dentro do PT contra a reforma da previdência é a do senador Humberto Costa (PE). Ele não concorda com nenhum dos itens da proposta que foi enviada ao Congresso pelo presidente Bolsonaro.

Tem que dar 

Mesmo tardiamente, Bolsonaro teria chegado à conclusão de que só com o “dando é que recebe” é que aprovará os projetos do governo no Congresso Nacional. Esse negócio de dizer que não troca votos por emenda parlamentar e cargos no governo é bobagem. Ou dá os que os deputados e senadores querem, ou não aprova nem voto de pesar.

Invasão estrangeira

Nunca, antes, na história de Pernambuco, um carnaval foi tão “invadido” por músicas sertanejas (da pior qualidade) e “forró fuleiragem” (expressão criada por José Teles) como o deste ano. Mas o que conforma os pernambucanos é que tudo isso é passageiro. Rodam, rodam, mas não conseguem se livrar das genuínas músicas do carnaval pernambucano, sobretudo as que nos foram legadas por Capiba e Nélson Ferreira.

Olho no olho

Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE), líder do governo Bolsonaro no Senado, ainda não teve aquela conversa “olho no olho” com o presidente para discutir a agenda governamental. Logo na primeira conversa, o presidente chegará à conclusão de que escolheu para a liderança um político hábil, preparado, inteligente, capaz de dar nó em pingo de éter no escuro.

Local inadequado

O plenário da Câmara do Recife é um local inadequado para a sessão de entrega do título de “cidadão” ao vice-presidente da República, general Hamilton Mourão, no próximo dia 8. É apertado e pouco acolhedor. O presidente Eduardo Marques (DEM) poderia pedir emprestado o auditório do TCE, bem maior e mais confortável.

MDB pode voltar a crescer em Pernambuco

Partido que a nível nacional virou sinônimo de poder nos últimos anos, o MDB de Pernambuco sofreu um processo de esvaziamento ainda no período em que Jarbas Vasconcelos era governador de Pernambuco. Mesmo Jarbas sendo um grande governador, o partido foi perdendo quadros, e isso se agravou quando o PSB ascendeu ao Palácio do Campo das Princesas com a vitória de Eduardo Campos em 2006.

Entre 2017 e 2018, o partido viveu um momento de muita complexidade, quando foi envolvido numa disputa judicial após o ingresso do senador Fernando Bezerra Coelho e a promessa de Romero Jucá de uma intervenção no diretório estadual. Jarbas e Raul Henry, presidente estadual do partido, decidiram ir para a justiça para impedir a dissolução e conseguiram deixar a questão sobrestada graças a uma liminar de Ricardo Lewandowski.

Passado o processo eleitoral, com as vitórias de Jarbas Vasconcelos para o Senado Federal e de Raul Henry para a Câmara dos Deputados, o MDB de Pernambuco viu o senador Fernando Bezerra Coelho ascender ao posto de líder do governo Jair Bolsonaro no Senado, o que lhe deu uma força nacional ainda maior do que já era.

Diante do atual quadro, está sendo pacificada a tese de que o MDB pode ter um comando compartilhado, sendo dividido o diretório pelos três políticos, de acordo com as regiões de seu interesse. Isso ajudará o partido a recuperar o seu protagonismo na política estadual e fazer dele uma alternativa de poder tanto para 2020 no Recife com Raul Henry quanto para 2022 quando o senador Fernando Bezerra Coelho estará concluindo o mandato e terá que decidir se tentará a reeleição para o Senado Federal ou se tentará pela primeira vez o Palácio do Campo das Princesas. A partir de agora, independente dos projetos eleitorais de cada ator, Jarbas, Fernando e Raul terão a missão de atrair novos quadros e fazer do MDB de Pernambuco o protagonista que sempre foi na política estadual.

Freio – O presidente Jair Bolsonaro deu um freio nos seus filhos, Eduardo, Carlos e Flávio, ao afirmar que eles não possuem nenhuma influência no seu governo. Na verdade, o recado foi mais direcionado para Carlos que vinha criando problemas para o presidente, e agora certamente terá que mergulhar e se dedicar ao seu mandato de vereador do Rio de Janeiro.

Título – O presidente estadual do PRTB, Edinázio Silva, e o deputado estadual Marco Aurélio estão nos ajustes finais para a entrega do título de cidadão recifense ao vice-presidente da República, General Hamilton Mourão, marcado para o dia 8 de março na Câmara Municipal do Recife.

Mendonça Filho – Diretor da Fundação Lemann, Mendonça Filho segue na rota Recife/Brasília/São Paulo semanalmente. Ele tem visitado outros estados para conhecer ações voltadas para a educação. Apesar da agenda corrida, Mendonça aproveitou o período de folga para curtir o carnaval de Pernambuco.

Beto Accioly – O ex-deputado estadual Beto Accioly foi nomeado na assessoria especial da prefeitura do Recife. Apesar de a partir de agora atuar na capital pernambucana, ele não deixa Camaragibe onde foi o segundo mais votado em 2018, perdendo apenas para Gleide Ângelo, e pretende disputar a prefeitura em 2020.

Ritmo – O primeiro-secretário da Assembleia Legislativa de Pernambuco, deputado Clodoaldo Magalhães, está intensificando as medidas para estruturar administrativamente a Casa. Ele esteve reunido com representantes de superintendências ligadas à mesa diretora e traçou metas de atuação para melhorar o funcionamento do poder legislativo.

Influência – A deputada estadual Roberta Arraes, que está no seu segundo mandato na Assembleia Legislativa de Pernambuco, terá grande influência na disputa pela prefeitura de Araripina nas eleições de 2020.

Inocente quer saber – Quantos partidos da Frente Popular terão candidato a prefeito do Recife em 2020?