1-banner1500x363

‘MONSTROS DO ÓDIO’, REAGE EL PAÍS AO SARCASMO SOBRE MORTE DE NETO DE LULA NAS REDES SOCIAIS

“A morte do neto de Lula desata os monstros do ódio” é o título de uma coluna publicada neste sábado (2) pelo jornal espanhol El País; assinado pelo jornalista Juan Arias, o texto destaca a reação de internatutas nas redes sociais que atribuíram o falecimento de Arthur, de 7 anos, a “um castigo de Deus”.

Para o colunista espanhol, é injustificável transformar a morte do menino e a dor de um avô com a perda do neto em “brincadeiras bobas, ironia e sarcasmo”. O jornalista destaca que Arthur, aos 7 anos, não teve tempo de de conhecer “os abismos da cegueira aos quais podem chegar a ideologia política”. Além disso, reitera, “Lula, mesmo condenado e na prisão, não perdeu sua dignidade como pessoa, nem o pedaço de história positiva que deixou escrita no país”.

O jornalista também afirma que a falta de empatia e de decoro contagiou os políticos do Brasil. Arias cita como exemplo o filho do presidente Jair Bolsonaro, o deputado federal Eduardo Bolsonaro. No Twitter, ele escreveu que Lula “é preso comum e deveria estar em um presídio comum” e que a ida do ex-presidente ao funeral do neto “só deixa o larápio em voga posando de coitado”.

“Nenhuma palavra de piedade ou, ao menos, de respeito por seu inimigo político”, afirma El País. O colunista compara a falta de respeito à inocência da infância aos campos de concentração nazistas, onde crianças eram queimadas vivas porque não serviam para trabalhar.

“Alguém escreveu que, depois dos campos de concentração do nazismo, não era possível continuar acreditando em Deus. E após todo o ódio e insultos sujos lançados contra Lula ao ter perdido o neto, é possível continuar acreditando no Brasil?”, questiona.

O jornalista encerra a coluna pedindo desculpas a Lula “em nome desses milhões de brasileiros que ainda não se venderam ao ódio fácil e sabem manter sua dignidade diante da morte de um menino”