Dr. Gilson Brito

CLIQUE NA IMAGEM PARA AMPLIAR

Restaurante Império Gourmet SJE
F. e P. Droga Center
Clínica Santa Lúcia
Casa Shopping Center
ADRIANTUR
Dr. Diego Aragão
O Centenário
Costa Lira
Informatic Center

Dr. Roberto Calumbí
Eduardo da Fonte

Centro Clinico
Deixe Seu Like

Lava Jato não pode impedir que as empresas nacionais sobrevivam

Coluna Fogo Cruzado – 11 de março de 2019

Até as pedras da Serra do Jabre (PB) sabem que a “Operação Lava Jato” prestou grandes serviços ao Brasil e também grandes desserviços. Atuou positivamente quando descobriu e investigou um poderoso esquema de corrupção na Petrobrás, que tinha a participação de dirigentes da estatal, das empresas que trabalhavam para ela e de partidos políticos. Mas também atuou negativamente quando se esforçou para fechar empresas envolvidas com corrupção. Já foi dito aos procuradores de Curitiba, que se acham acima do bem e do mal, que na Alemanha de Hitler as principais empresas daquele país, entre elas a Mercedes Benz, colaboram com o nazismo. E que todas foram devidamente penalizadas por seus crimes, porém nenhuma delas foi obrigada a fechar as suas portas. No Brasil ocorre o contrário. Os procuradores de Curitiba não se deram por satisfeitos com a desmoralização das empresas que estavam no esquema da Petrobras. Trabalham para tirá-las do mercado, em que pese a maioria delas já ter devolvido o que levou indevidamente do erário e pedido desculpas à nação pelos crimes praticados. Para os Dallagnol da vida, apenas isto é insuficiente. É preciso também desempregar milhões de brasileiros (só em Pernambuco foram cerca de 80 mil) que é a consequência natural da falência de empresa que não consegue mais contratar com o poder público. Felizmente, o TCU começa a rever esse entendimento através do ministro Augusto Nardes. Ele recentemente arquivou um processo em que quatro empreiteiras envolvidas na “Lava Jato” haviam sido impedidas de firmar contratos com a União. Com isto, a Queiroz Galvão, a UTC Engenharia, a Techint Engenharia e a Empresa Brasileira de Engenharia e Comércio permanecem habilitadas a participar de licitações promovidas por entes públicos. Por mais que isto entristeça os procuradores Deltan Dallagnol e Luiz Fernando de Lima.

A volta da Queiroz Galvão 

Contra a vontade dos procuradores da “Lava Jato”, a pernambucana Queiroz Galvão venceu no mês passado uma licitação na Bahia, no valor de R$ 430 milhões, para a construção de mais um trecho do metrô de Salvador. Nardes, ao arquivar um processo contra essa empreiteira, contrariou a posição de auditores do próprio TCU, que se manifestaram em junho do ano passado a favor que ela fosse impedida de contratar com o poder público pelo prazo de cinco anos.

Consulta ao Ministério Público

Antes de levar o processo para julgamento, Augusto Nardes (TCU) solicitou parecer ao Ministério Público de Contas sobre a possibilidade de aquelas empresas cooperarem com a Justiça. O MPCO foi favorável e por isso o processo foi arquivado. Num país que tem 14% de sua população desempregada, foi uma boa notícia para os trabalhadores.

Férias pós carnaval

Não foi apenas o prefeito Geraldo Júlio (PSB) quem tirou uma semana para descansar após a trabalheira dura do carnaval. O prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), fez exatamente a mesma coisa. Tirou licença de 9 a 15 deste mês e está sendo substituído  pelo presidente da Câmara Municipal, vereador Eduardo Tuma (PSDB). O vice do Recife, Luciano Siqueira (PCdoB), é quem está no comando da prefeitura.

Pela continuidade das cotas

De passagem pela Bahia no último final de semana, a ex-deputada Manuela D’Ávila (PCdoB-RS), que foi candidata a vice de Haddad (PT) em 2018, manifestou-se contra o projeto de lei de autoria do senador Ângelo Coronel (PSD-BA), que quer acabar com a cota mínima de 30% de candidaturas femininas em eleições proporcionais. A ex-deputada disse que as mulheres não podem ser “penalizadas” pelo surgimento de “candidaturas-laranja” em Pernambuco e em Minas Gerais.

Deus te ouça, general!

Do vice-presidente Hamilton Mourão (PRTB), em entrevista à Rede TV na última sexta-feira (8) – dia em que deveria ter vindo ao Recife para receber o título de cidadão – sobre as trapalhadas dos três filhos do presidente Bolsonaro: “Ele é o primeiro presidente na história da República que tem três filhos políticos, cada um no seu nível, um senador, um deputado federal e um vereador. É natural que os filhos expressem a sua posição. É uma família unida, é uma família que viveu o trauma do pai quase ter sido assassinado. Mas o tempo vai colocar cada um na sua função, sem maiores problemas”. Assim seja, general!

Mais uma área de lazer

A prefeita Raquel Lyra (PSDB) inaugurou em Caruaru, no último final de semana, uma nova área de lazer do bairro Cidade Jardim: a Praça José Moreira Jordão. Ela é a segunda das 9 que foram prometidas na campanha eleitoral. A primeira fica localizada no bairro José Carlos de Oliveira. Estavam na inauguração o vice Rodrigo Pinheiro, o ex-governador João Lyra Neto e os vereadores Edjailson da Carú Forró e Bruno Lambreta.

Aniversário do Recife

O Recife completa amanhã (11) 482 anos de fundação, data que coincide com o terceiro ano de funcionamento do Compaz Eduardo Campos (Alto de Santa Terezinha). A programação se prolongará até domingo (17), quando será exibido o espetáculo “O boi voador”. Segundo dados da Secretaria de Defesa Social, o índice de assassinatos no entorno do Compaz caiu 27,3% em 2018 em relação a 2017, sendo que o Alto Santa Terezinha não registrou nenhum homicídio.

Aulões esportivos

Próxima quinta-feira (14), no Compaz Ariano Suassuna, localizado no bairro do Cordeiro, haverá “aulões esportivos” com participação de atletas pernambucanos que se destacaram em Olimpíadas: Yane Marques, Joanna Maranhão, Cisiane Dutra e Adrianinha. Yane apresentará o Pentatlo Moderno, Cisiane o Atletismo, Adrianinha o Basquete e Joanna Maranhão a natação.

Karnal em São Bento

Débora Almeida (PSB), prefeita de São Bento do Una, convidou o professor e filósofo Leandro Karnal para proferir uma palestra para os professores da rede municipal de ensino. Será no próximo dia 13, às 10h30, na casa de eventos Una Hall, às margens da PE-180. Karnal, que escreve aos domingos para o jornal “O Estado de S. Paulo”, falará sobre “Atitudes que fazem a diferença”. Ele tem lotado plateias por onde passa, e geralmente o público adora suas palestras.

Só o assalto não serve

Bandidos que têm explodido agências bancárias no interior de Pernambuco não se contentam mais com o produto do roubo. Esforçam-se também para desmoralizar a Polícia, tal qual fizeram em Cabrobó na última sexta-feira após sequestrar o empresário Inaldo Novaes e sua esposa Jaqueline Ferraz. O veículo que pertencia às vítimas apareceu incendiado em frente da Delegacia de Polícia Civil.

As sequelas da insatisfação de aliados com o governo Paulo Câmara

Iniciando o terceiro mês do seu segundo governo, Paulo Câmara ainda não conseguiu ternurar os aliados que tiveram seu espaço diminuído na gestão socialista do estado. Muitos deles acataram a decisão do governador, mas não ficaram nem um pouco satisfeitos com a postura adotada pelo chefe do executivo estadual.

A lista passa por deputados federais, deputados estaduais, prefeitos e presidentes de partido. Todos eles têm alguma queixa a fazer sobre o governo do PSB, que por representar um projeto de doze anos caminhando para dezesseis, adotou uma postura de não estar nem aí para o que pensam os aliados que tiveram papel fundamental na apertada vitória de 2018.

Está se construindo uma tese no meio político de que é preciso dar um basta na hegemonia do PSB em Pernambuco e que aguentar calado tudo o que o governo faz é um sinal de fraqueza para quem recebeu votos e detém mandato eletivo. E estes atores políticos vislumbram 2020 como uma oportunidade ímpar para diminuir o poderio do PSB em Pernambuco.

Não se sabe se o troco dos partidos será na eleição do Recife, uma vez que o PSB priorizou apenas PT, PCdoB e PDT como estratégia de aliança, deixando outros partidos igualmente importantes ou até mesmo mais representativos em papel secundário, mas a grande chance deles, de acordo com um parlamentar em reserva, é que o PSB perca a prefeitura do Recife para realinhar as órbitas da política no estado, e os partidos, sem o espaço devido, só têm o caminho de lançar candidaturas próprias na capital para materializar o recado.

Cordão – Ainda de acordo com este mesmo parlamentar, quem pode puxar o cordão de rompimentos com o PSB é o senador Jarbas Vasconcelos. Se Jarbas tomar a decisão de romper, abrirá o caminho para outros partidos e lideranças políticas trilharem o distanciamento do PSB em 2020.

Remake – Em 2003, tão logo foi reeleito priorizando a aliança com Marco Maciel e Sergio Guerra, Jarbas Vasconcelos perdeu aliados que formaram o Grupo Independente. Naquela ocasião, romperam com o então governador, os deputados federais José Mucio Monteiro, Armando Monteiro Neto, Luiz Pihauilino, Roberto Magalhães e Joaquim Francisco, que foi lançado em 2004 para prefeito do Recife.

Consequência –  Apesar de não vencer a eleição de 2004, este grupo se aproximou do governo federal, e possibilitou a fragilidade do então governador Jarbas Vasconcelos para a sua sucessão, uma vez que a maioria destes nomes não voltou para a base de Jarbas e permitiu que tivéssemos três candidaturas a governador em 2006 com a vitória de Eduardo Campos e findou a hegemonia da União por Pernambuco.

Projeto – A Câmara dos Deputados analisa o Projeto de Lei nº 1178/2019, de autoria do deputado federal Ossesio Silva (PRB), que obriga empresas com mais de 100 funcionários a contratar profissionais idosos. Pelo texto, as empresas deverão reservar de 2% a 5% das vagas na seguinte ordem: 100 ou mais profissionais (2%); de 201 a 500 empregados (3%); de 501 a mil (4%); e acima de mil (5%) das vagas serão destinadas aos idosos.

Recuperação – A prefeita de Caruaru, Raquel Lyra, vem intensificando as ações na cidade com o objetivo de criar uma marca de entregas e resultados para Caruaru. Atualmente a prefeita, eleita em 2016, não detém boa avaliação e precisa melhorar neste quesito para tentar a reeleição em 2020.

Inocente quer saber – Por que o governo Jair Bolsonaro gosta tanto de se envolver em polêmicas?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *