ProntLab
Dr. Gilson Brito

CLIQUE NA IMAGEM PARA AMPLIAR

Restaurante Império Gourmet SJE
F. e P. Droga Center
Clínica Santa Lúcia
Casa Shopping Center
ADRIANTUR
Dr. Diego Aragão
O Centenário
Costa Lira
Informatic Center

Dr. Roberto Calumbí
Eduardo da Fonte

Centro Clinico
Deixe Seu Like

Abril começa com chuvas e recuperação dos açudes e barragens Nordeste afora, APAC diz que as chuvas vão continuar.

O primeiro fim de semana do quarto mês de ano não poderia começar melhor para o nordestino, chuva, muita chuva em várias regiões de muitos estados, com acumulo considerável em vários mananciais. Na Paraíba, o açude de Coremas, o maior do estado, já pegou mais de 90 milhões de metros cúbicos de água e chegou a 16% de sua capacidade total.
Em Patos, a barragem da Farinha sagra desde o último sábado (06) e faz a alegria dos patoenses, inclusive nesse domingo (07), a barragem virou ponto turístico e teve até fila para vê o açude cheio.
Em Pernambuco, Brotas em Afogados da Ingazeira também chegou a sua capacidade máxima no sábado (06) e sangrou pela segunda vez em um ano.
A barragem do cascudo, no distrito do Tigre em Santa Terezinha também começou a sangrar no fim de semana, ainda em Stª Terezinha Barragem de Zé Antão 15%.
Outro importante manancial que estava seco desde 2015 já acumula 23% de sal capacidade total é o  Rosário em Iguaracy. Com capacidade de 34 milhões e metros Cúbicos, o açude já acumula mais de 8 milhões, 23,3% da sua capacidade.
São José 2  em São José do Egito chega a quase 4 milhões de metros cúbicos e já acumula 63% de sua capacidade total, São Jose 1 com 20% de sua capacidade.
Em Itapetim: Boa Vista está com 31% de capacidade, Caramucuqui 22% e Mãe D’água 10%.
Brejinho Serrinha\Serraria 31%.
Tuparetama: Barragem Bonsucesso 33% de sua capacidade.
Solidão:Barragem de Nossa Senhora de Lourdes 50%.

De abril ao fim de junho deste ano, as chuvas devem ficar dentro da normalidade em Pernambuco. A previsão climática é da Agência Pernambucana de Águas e Clima (Apac)

O prognóstico na Região Metropolitana do Recife é de 900 mm nesses três meses. Na Zona da Mata, deve chover 580 mm. No Sertão, a previsão é de 190 mm nesse trimestre – o período de chuvas fortes vai até abril, quando começa a diminuir, indo até junho. Já no Agreste, o volume de chuvas deve chegar a 320mm.  As causas das chuvas estão atreladas ao El Niño, fenômeno que superaquece as águas do Oceano Pacífico, modificando os padrões de vento e chuva, como descreve o meteorologista da Apac Vinícius Gomes: “O Oceano Atlântico Sul está mais quente que a sua média climatológica, causando as chuvas no Sertão e a formação de mais nuvens que entrarão em Pernambuco”.

Em relação ao ano passado, segundo o meteorologista Patrício Oliveira, o inverno não foi normal como seguirá este ano. De acordo com ele, no período das chuvas, que ocorrem mais em maio e junho, foi abril o mês que registrou maior volume d´água. “Esse ano o inverno seguirá normal durante os próximos meses, mas é importante se atualizar da previsão do tempo“, destaca Patrício.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *