ProntoMaisLab
Sertão Online
Supermercado Queiroz

Dr. Gilson Brito

CLIQUE NA IMAGEM PARA AMPLIAR

Jailson Pneus
Restaurante Império Gourmet SJE
BMG Correspondente Antônio Filho
F. e P. Droga Center
Clínica Santa Lúcia
Casa Shopping Center
ADRIANTUR
Dr. Diego Aragão
O Centenário
Costa Lira
Informatic Center

Eduardo da Fonte

Centro Clinico
Eletro Móveis
Deixe Seu Like

ACABANDO ANTES DE COMEÇAR….

Financial Times diz que Bolsonaro virou um pária

Marcos Corrêa/PR: <p>bolsonaro estados unidos</p>

O jornal britânico Financial Times afirmou que Jair Bolsonaro é um pária. Segundo o jornal, o Brasil precisa de investimentos estrangeiros e seu presidente só agrava esta situação; James Green, professor na Universidade Brown, disse, na matéria do FT que Bolsonaro “se tornou um pária que só recebe acolhidas calorosas dos presidentes que concordam com suas políticas”. O jornalista Fernando Brito, editor do blog Tijolaço, afirma: “não se pode adivinhar as intenções de Jair Bolsonaro, exceto naquilo em que ele as deixa óbvias: a radicalização política”; ele prossegue: “daí para a frente, corre-se o risco de confundir o que é sua desorientação pessoal – e esta não é pequena – e o que é seu projeto político e aniquilamento do Brasil”.

Bolsonaro divulga texto grave em que insinua renúncia ou golpe

Carolina Antunes/PR: <p>(Brasília - DF, 09/05/2019) Presidente da República Jair Bolsonaro. Foto: Carolina Antunes/PR</p>

Jair Bolsonaro distribuiu na manhã desta sexta-feira em grupos de WhatsApp um texto que em tudo lembra a retórica de Jânio Quadros e insinua as hipóteses de um golpe de Estado para implantar um Estado policial ou a renúncia; o texto, que ele diz ser de “autor desconhecido”, usa a expressão “corporações” sem nomeá-las, quase num sinônimo das “forças ocultas” a que se referia Jânio Quadros; ao introduzir o texto para os grupos, ele diz que “o Sistema vai me matar”; políticos consideraram a iniciativa de Bolsonaro grave e preocupante.

As trapaças da História

:

Denise Assis, Jornalista pela Democracia, avalia o texto distribuído pelo presidente Jair Bolsonaro nesta sexta-feira, 17, pelo WhatsApp; “Arrisco um palpite: Bolsonaro ameaça renunciar para ele, sim, voltar nos braços do povo (desta vez, armado por ele). Voltando a Marx: tal como Jango, em 1961, quando Jânio renunciou, o vice-presidente Hamilton Mourão encontra-se na China. (São as trapaças da História)”

Dólar bate R$ 4,10 e BC anuncia intervenção no mercado

: <p>Homem passa por sede do Banco Central, em Brasília 15/01/2014 REUTERS/Ueslei Marcelino</p>

O Banco Central anunciou intervenção no mercado de câmbio depois que o dólar avançar 4% na semana e fechar acima de R$ 4,10; o BC agendou três leilões de linha (venda de moeda com compromisso de recompra) no valor de US$ 3,75 bilhões para segunda, terça e quarta-feira; a medida coloca dinheiro no mercado à vista para minimizar os danos de demanda.

O pensamento único é inédito no país, diz jornalista

: <p>bolsonaro mídia</p>

O jornalista Lalo Leal afirma que a mídia exerce um papel de sufocamento no país; ele diz: “nem nos golpes contra Getúlio Vargas, em 1954, e Jango, em 1964, vimos a mídia tão unida como agora. E desta vez não é para depor um presidente, mas para arruinar um país. Trato da destruição da previdência social, assumida como projeto prioritário do atual governo e encampada sem restrições pelos meios de comunicação”.

Sob o império do grosseiro e do obsceno

Teólogo e escritor Leonardo Boff diz lamentar que as redes sociais do Brasil sejam “o império da grosseria e da obscenidade”; “Essa metáfora já foi usada por outros: parece que as portas e as janelas do inferno se abriram de par em par. Daí saíram os demônios das ofensas pessoais, das injúrias, dos fake news, das mentiras, das calúnias”

Encurralado

Agência Brasil: <p>bolsonaro estados unidos</p>

Colunista Ricardo Capelli resume a situação do presidente Jair Bolsonaro: “Popularidade em queda, imagem internacional em ruínas, povo nas ruas, economia em frangalhos, desemprego subindo, crise política, mídia unida atirando, militares descontentes, um filho ‘gênio dos negócios imobiliários’ nas mãos do MP e cheques suspeitos na conta da primeira dama sendo investigados”.

As ruas rugiram.

:

“Um ato político, não partidário, foi lido por ele como uma ofensa pessoal”, diz o jornalista Ricardo Miranda sobre os protestos contra cortes de verba na Educação; “Com a miopia de quem nunca desceu do palaque, cuja política aprende não com Aristóteles ou Platão, mas com Olavo de Cavalho. Bolsonaro não desce do palanque, não adianta”, lamenta.

Reforma da Previdência de Guedes pode acabar na lata de lixo

O texto do governo pode ser deixado inteiramente de lado em benefício de um novo em folha, com mais consensos entre os parlamentares.

Folha: devassa nas contas de Flávio pode apontar elo com milícias

REUTERS/Ricardo Moraes: <p>Senador eleito Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) 06/09/2018 REUTERS/Ricardo Moraes</p>

“Há fortes suspeitas de que se consumava no gabinete de Flávio a prática de contratar assessores com o intuito de recolher parte de seus vencimentos —fraude apelidada no meio político de ‘rachadinha’. Muito pior será se a quebra dos sigilos desnudar outras conexões. As especulações mais preocupantes referem-se ao envolvimento de representantes das milícias”, aponta editorial da Folha.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *