ProntoMaisLab

Sertão Online
Supermercado Queiroz

Dr. Gilson Brito

CLIQUE NA IMAGEM PARA AMPLIAR

Jailson Pneus
Restaurante Império Gourmet SJE
BMG Correspondente Antônio Filho
F. e P. Droga Center
Clínica Santa Lúcia
Casa Shopping Center
ADRIANTUR
Dr. Diego Aragão
O Centenário
Costa Lira
Informatic Center

Eduardo da Fonte

Centro Clinico
Eletro Móveis
Deixe Seu Like

CONFIRA O QUE FOI DISCUTIDO NA CÂMARA DE STª TEREZINHA ,NESSA QUARTA (29).

Um pequeno público acompanhou a sessão ordinária na noite dessa quarta (29) na Câmara de Vereadores de Santa Terezinha. O vereador André de Afonsim faltou a sessão por se encontrar de licença médica. O vereador Neguinho de Danda reclamou da direção da casa que não aprovou em tempo seu requerimento para Moção de Aplausos ao Kairós.  Houve reclamações novamente sobre o valor cobrado para uso dos camarotes no João Pedro, considerado abusivo. O uso do espaço público dos camarotes por empresas sem pagamento de taxas para o município foi lembrado. Houve também denúncia sobre carnês que motoristas do transporte escolar receberam no valor R$ 437,86 para serem recolhidos em pagamento a serviços de contabilidade.

Os motoristas estranharam a cobrança e levantaram questionamento junto a vereadores. O vereador Lindomar Leite explicou ao blog que a prefeitura trabalhou no ano passado com esses motoristas de forma terceirizada. Esse ano para reduzir custos, a prefeitura resolveu trabalhar com o Micro Empreendedor Individual (MEI), onde cada motorista tem sua própria empresa.  Esses carnês apareceram como sendo uma taxa para arcar com despesas com o contador, responsável pela empresa de cada motorista, pelos menos essa é a explicação de momento, mas o parlamentar disse que ainda está levantando os fatos. Lanjinha de Teógenes questionou a demora no roço do mato, e sobre iluminação pública. Na sessão anterior o Pastor Zé Carlos fez denúncia a cerca do uso de um livro em escolas públicas, e uma particular de Santa Terezinha que incentiva as crianças a desobedecerem os pais e as autoridades, denúncia refutada por Lanjinha de Teógenes, Nôdo de Gregôrio e Lindomar Leite, que tiveram acesso ao conteúdo do livro e não encontraram elementos que justificassem a tese do pastor.
A sessão não foi transmitida em mídia social pois o operador de vídeo da casa estava ausente, cuidado de outros assuntos, justificou o presidente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *