Gordo Construções
ProntoMaisLab

Sertão Online
Supermercado Queiroz
Dr. Gilson Brito

CLIQUE NA IMAGEM PARA AMPLIAR

Jailson Pneus
Restaurante Império Gourmet SJE
BMG Correspondente Antônio Filho
F. e P. Droga Center
Clínica Santa Lúcia
Casa Shopping Center
ADRIANTUR
Dr. Diego Aragão
O Centenário
Costa Lira
Informatic Center

Eduardo da Fonte

Centro Clinico
Eletro Móveis
Deixe Seu Like

Giro pelos Blog’S(23.o7.2019)

Bolsonaro quer imitar Trump

O presidente Bolsonaro nunca negou que seu grande ícone da política internacional é o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump. Fez a campanha, aliás, se apresentando com a marca Trump de gerar polêmicas. Eleito, uma das suas primeiras viagens internacionais foi a Washington para bater continência ao mais poderoso chefe de Estado do mundo.

Cada um tem suas referências de ídolos, gosto não se discute, mas Bolsonaro, ao dar declarações incendiárias quase todos os dias, como virou rotina, quer imitar Trump. Mas o presidente americano, diferente do brasileiro, é inteligente, criativo, debochado e tem um ingrediente acima de todos os chefes do mundo: é poderoso.

Na polêmica com a jogadora Megan Rapinoe, campeã mundial de futebol feminino e militante gay, disse que não valia a pena brigar com ela, porque tinha com a jogadora coisas em comum. “Eu gosto de mulher e ela também”, afirmou.

Pior que Geisel – Nem no Governo Geisel, do regime militar, houve tanta subserviência aos Estados Unidos como na gestão atual. Segundo a professora Maria Aparecida de Aquino, da pós-graduação do Departamento de História da USP, “na era Geisel a subserviência não foi total como observamos agora”. Geisel pelos menos concretizou aporte financeiro para o acordo nuclear de 1975.

Sem briga – Paulo Câmara subscreveu a carta dos governadores do Nordeste ao presidente na sexta-feira passada, mas faltava de sua parte uma manifestação pessoal, o que fez, ontem, pelas redes sociais. “O que se espera dos governantes é respeito. Não é tempo de procurar briga, é tempo de procurar soluções, respeitando o compromisso com as pessoas”, afirmou.

Candidato – Depois de mero figurante nas eleições passadas como candidato a governador pelo PROS, obtendo 129.712 votos, o ex-deputado Maurício Rands já admite entrar na disputa pela Prefeitura do Recife, em 2020. Na corrida estadual, contou com o apoio do PDT, mas na capital o partido deve lançar o nome do deputado federal Túlio Gadelha, segundo o presidente Carlos Lupi.

Vítima do ex – O governador da Paraíba, João Azevedo (PSB), não abriu a boca sobre o affair Bolsonaro com o Nordeste. A ira do presidente não tem ele como alvo, mas o ex-governador Ricardo Coutinho, que assumiu a Fundação João Mangabeira e tem como hobbie bater em Bolsonaro.

Sem cidadania – Representando a Paraíba, a vereadora Sandra Marrocos (PSB) cantou de galo no enfrentamento ao preconceito revelado pelo presidente aos nordestinos. Propôs o cancelamento do título de cidadão de João Pessoa a Bolsonaro, de autoria do vereador Carlão da Consolação (DC).

FORA DA OPOSIÇÃO – Ex-prefeito de Canhotinho, Doutor Roberto (DEM) negou que tenha se antecipado no apoio ao candidato das oposições, Marcílio Amorim (PP). Ressalta que jamais abandonará o grupo de Lourival Barros, pai do deputado Álvaro Porto e avô do prefeito Felipe Porto (PSD).

Perguntar não ofende: Ao atingir os nordestinos, Bolsonaro perdeu o respeito da população da região?

Coluna Fogo Cruzado – 22 de julho de 2019

A mídia brasileira está saturada de mencionar fatos sobre os quais o presidente da República opinou nos últimos seis meses, tantas as bobagens ditas por ele durante esse período. As mais recentes tiveram como alvo os nordestinos e foram captadas, na última sexta-feira, em Brasília, no encerramento de um café da manhã com correspondentes estrangeiros. O presidente, que nunca se conformou por ter obtido apenas 30% dos votos válidos do Nordeste, nas eleições de 2018, trata a região com absoluto desprezo. Não tem noção da estatura do cargo que ocupa e nem avalia as consequências do que diz. Conforta-o, certamente, ser chamado de “mito” em igrejas evangélicas, sendo que de mitológica mesmo sua figura não tem nada. O pior é que o povo brasileiro já está se acostumando com esse estilo, que inclui também o confronto verbal com generais que não subscrevem o que ele diz e a desqualificação de agências como o IBGE, a ANCINE e o INPE, sempre que divulgam dados com os quais o governo não concorda. Como a maioria do povo brasileiro, em dois plebiscitos, já deu um “não” ao parlamentarismo, que poderia nos livrar desse presidencialismo irracional, resta-nos aguentar com resignação os três anos e cinco meses que ainda temos pela frente, já que a hipótese do impeachment, pelo menos em curto e médio prazo, se apresenta como improvável.

Risco de rejeição

Desenha-se um cenário no Congresso para derrotar a “PEC paralela” que reincluiria estados e municípios na reforma da previdência. Esta PEC tramitaria no Senado paralelamente à que já foi aprovada na Câmara. Só que parte da bancada governista, para “vingar-se” dos governadores do Nordeste, que não apoiaram a PEC da Câmara, é contra a sua aprovação.

Crise não escolhe vítima

O senador Fernando Bezerra (MDB-PE) defende a aprovação da “PEC paralela”, mas também não acha fácil a sua aprovação. Diz que os governadores do Nordeste erraram no “time” e no posicionamento político, que poderia ter sido “menos populista e menos eleitoreiro”. De fato, os nordestinos acham que não pode ocorrer com eles o que houve  RS, MG, RJ e RN.

A salvação da Missa

A tradicional “Missa do Vaqueiro”, que surgiu nos anos 70 na cidade de Serrita para homenagear na última semana do mês de julho a memória de Raimundo Jacó, que era primo de Luiz Gonzaga, talvez não acabe em 2020 porque à frente da Secretaria de Cultura do Governo do Estado está um sertanejo identificado com as coisas da região: Rodrigo Novaes (PSD).

Pra que existir?

Líderes políticos do Pajeú solicitaram à secretária Fernanda Batista (nfraestrutura) o recapeamento da estrada que liga São José do Egito (PE) a Ouro Velho (PB). Por se tratar de uma rodovia que liga dois estados, deveria ter prioridade. Em Sertânia, a 86 km, há um escritório do DER que não deveria existir. Se não serve sequer para tapar buracos, vai servir pra quê?

Risco de dissidência

A Frente Popular de Afogados da Ingazeira, que sempre escolheu candidatos a prefeito por consenso desde 1988, passa no momento por uma crise de unidade. O ex-prefeito Totonho Valadares, que foi um de seus fundadores, não aceitará “imposição” do atual, José Patriota (PSB), que praticamente já se definiu pelo seu vice. Se não for ouvido, Valadares abrirá uma dissidência.

A lista do Sintepe

O Sintepe usou suas mídias no final de semana para pôr a foto dos 14 deputados federais pernambucanos que votaram a favor da reforma previdenciária. Esses, entre eles Felipe Carreras (PSB), André de Paula (PSD), Raul Henry (MDB) e Augusto Coutinho (SD), certamente terão argumentos para justificar seus votos, que foi a favor do país e não da demagogia.

Gláuber concordaria?

Será que Gláuber Rocha compareceria hoje à sua terra natal, Vitória da Conquista (BA), para a inauguração pelo presidente Bolsonaro do novo aeroporto da cidade que leva o seu nome? O cineasta, quando estava perto de morrer, chamou o general Golbery do Couto e Silva, ministro de Geisel, de “gênio da raça”. Mas Golbery era culto e o atual presidente, analfabeto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *