1-banner1500x363

Giro pelos BLog’s (25/10/2021)~~

Blog do FinFa

Presente – Neste domingo (24), a equipe de Vigilância em Saúde da Regional da X GERES, esteve presente no município de Santa Terezinha-PE, durante a realização da terceira etapa da XIII Copa Pernambucana de Bandas e Fanfarras. Segundo o Gerente Mary Delanea, foi montado um estande para testagem por meio de teste de antígenos para Covid-19 no público-alvo do evento. A ação contou também com o apoio dos profissionais de saúde da Secretaria Municipal de Saúde daquele município.

Encerramento – O prefeito da Ingazeira-PE,Luciano Torres, em contato com este blogueiro, confirmou que na próxima sexta-feira (29), as secretarias Municipais de Saúde, Assistência Social, Educação, da Mulher e de Cultura, estarão realizando o encerramento da Campanha ‘Outubro Rosa’, convidam todas as mulheres ingazeirenses para um dia de beleza. Neste dia, será disponibilizado ônibus em dois pontos de apoio (Em frente à igreja em Santa Rosa e também em frente à escola do Sítio da Caiçara)., serão entregues fichas por ordem de chegada e cada pessoa deverá escolher um dos serviços. Haverá ainda muita música, dança com os professores da Academia das Cidades, teste do COVID e tendas com informações das secretarias.

Família – Registrei um fato inusitado no Congresso da União dos Vereadores de Pernambuco-UVP, que foi realizado em Afogados da Ingazeira neste final de semana. A família Marinheiro, que tem raízes no Sítio São João em Afogados da Ingazeira, hoje tem três vereadores de mandato: Antônio Bujão vereador de Solidão-PE, com oito mandatos de vereador e dois de Presidente da Câmara; a vereadora de Solidão-PE, Adriana de Agenor, dois mandatos de vereadora e é atual Presidente da Câmara e o Presidente da Câmara de Afogados da Ingazeira, Rubinho do São João, dois mandato e o vereador mais votado nas eleições de 2020.

Respeitar é bom –

Uma fonte que participava do Congresso dos Vereadores que foi realizado da última quinta-feira (21) até ontem (24), na Pousada de Brotas em Afogados da Ingazeira, promovido pela UVP, disse a este blogueiro que o Presidente da Câmara de Flores, vereador Luiz Heleno (foto), estava discriminando o vereador mais votado da cidade de Serra Talhada, China Menezes (PP).Segundo a fonte, O Presidente da Câmara de Flores, tratou o vereador campeão de votos da capital do Xaxado, de ‘pobrezinho’. “Acho que o Presidente da Câmara de Flores, pensa porque estava compondo a mesa do Congresso da UVP, é algo que credite ele menosprezar colegas, não sabe ele, que China obteve 2.020 votos no maior eleitorado do Pajeú, não é para qualquer pobrezinho, enquanto o vereador Luiz Heleno, obteve 778, sendo o quinto.Não dar para comparar”,disse a fonte.

Reformando – O Governo Municipal de Itapetim-PE, continua realizando reformas nos prédios públicos do município. E dessa vez, a ação contemplou a Escola José Correia, no bairro Santa Luiza de Marilac, onde funciona a Creche Criança Feliz. “Fizemos toda pintura do prédio, retelhamento, troca de pias e ainda construímos uma murada na escola. As melhorias vão deixar o ambiente muito mais confortável e aconchegante para as crianças e funcionários”,disse o prefeito Adelmo Moura.

Ridículo – Na abertura do Congresso dos Vereadores de Pernambuco-UVP, na última quinta-feira (21), chamou a atenção dos parlamentares presentes, o discurso do ex-presidente e vereador de Timbaúba, Josinaldo Barbosa (foto), que fez severas críticas aos componentes da chapa derrotada, encabeçada pelo vereador Zé Raimundo de Serra Talhada. “Esse Josinaldo foi ridículo com nós vereadores, ele pensava que iria ser perpétuo na UVP, deveria ter mais educação e respeitar os colegas, a eleição passou”, disse um vereador em contato com este blogueiro.

Respondeu – O vereador de Serra Talhada, Zé Raimundo que foi candidato a presidente da UVP, na eleição de 18 de Abril, em entrevista a este blogueiro, respondeu as críticas que o ex-presidente Josinaldo Barbosa,fez aos colegas da sua chapa.

Perguntar não ofende – Por que vereadores de Ingazeira e Tabira, não participaram do Congresso da UVP em Afogados da Ingazeira?

O encontro do prefeito do Recife, João Campos (PSB), com o ex-presidente Lula, na noite de ontem, foi uma clara sinalização de que a aliança entre PT e PSB caminha a passos largos para ser sacramentada. Eles tiveram juntos em um jantar, no mês de agosto, no Palácio do Campo das Princesa.

Campos defendia uma candidatura própria do PSB à Presidência da República, além de ter vivenciado uma eleição muito dura com o PT, no Recife, no ano passado. Porém, o gesto de ir ao encontro de Lula é um sinal verde para seu partido buscar um entendimento com os petistas.

O gesto de João tem peso dobrado na cabeça do líder petista. Ele é filho de Eduardo Campos, se elegeu prefeito da Capital pernambucano, bateu no PT em 2020 e vem fazendo uma gestão aprovada pela população. E vinha sendo, até o momento, a principal liderança socialista a nível nacional que representava algum empecilho à uma aliança que ocorre, nacionalmente, desde 1994. Aparentemente, o cadeado foi aberto, agora resta girar a maçaneta.

NA OPOSIÇÃO – Depois de flertar uma volta ao Governo, o deputado estadual Wanderson Florêncio anunciou seu voto em Miguel Coelho para governador e Fernando Filho para federal. Com esse movimento, ele carimba sua permanência na Oposição. É esperada sua filiação ao Podemos.

SIRINHAÉM – Impressionou a todos que acompanharam a agenda do governador na cidade o clima de acirramento do grupo da prefeita Camila Machado e os adeptos de France Hacker. As divergências locais, todavia, não influenciam o céu de brigadeiro que Paulo Câmara vive em Sirinhaém, já que tem o apoio dos dois grupos.

RÁPIDAS

PRESTIGIOU – O prefeito de Palmares, Júnior de Beto (PP), foi até Bezerros, no Agreste, para confirmar seu apoio a Miguel Coelho para governador. Essa movimentação consolida Júnior no campo da Oposição.

FORA DA DISPUTA – O ex-deputado Adalberto Cavalcanti não vai disputar eleição em 2022. Ele vai apoiar a reeleição de Gustavo Gouveia para a Alepe e Lucas Ramos para federal.

DE OLHO NO ELEITORADO – Diversos políticos estiveram no aniversário do pastor Ailton José Alves, presidente da Assembleia de Deus em Pernambuco. No comando de uma das principais denominações cristãs do Estado, Ailton sabe a força eleitoral que tem.

PINGA-FOGO: PT vai reivindicar espaço na chapa da Frente Popular?

Coluna da segunda | Gesto de João Campos sinaliza para aliança entre PSB e PT

Prefeito do Recife e representante do espólio político-eleitoral do ex-governador Eduardo Campos, João Campos reuniu-se, em São Paulo, com o ex-presidente Lula em um gesto que pode ser interpretado como o que faltava para selar a volta da aliança entre PT e PSB no plano nacional, e, consequentemente, em Pernambuco. Entre os líderes partido socialista, João era, praticamente, a única voz contrária ao retorno desse casamento que teve, no passado, as figuras de Eduardo e de Lula como emblemáticas.

Foi verbalizado por João Campos que a aliança tem o objetivo de derrotar o presidente-candidato Jair Bolsonaro, que, combalido, vai tentar a reeleição em um cenário completamente adverso. Em decorrência do tamanho e do posicionamento estratégico do PSB em estados como São Paulo e Pernambuco, por exemplo, é possível que dessa união saia para os socialistas a vaga de vice na chapa a ser encabeçada por Lula.

A volta da aliança PT-PSB, que deve ser oficializada mais à frente, dá ares de dramaticidade à candidatura do pedetista Ciro Gomes à Presidência da República. Isolado no campo da esquerda, ao cearense só resta buscar apoios na direita; já que PCdoB e PSOL dificilmente não se incorporarão ao projeto capitaneado por Lula – o PCdoB, aliás, pode até fundir-se ao PSB.

Após o ato que formalizará a volta da aliança, começarão a pipocar os nomes que podem vir a compor a chapa de Lula. Pelo que se fala, o desejo do ex-presidente, quase um Deus no Nordeste, é que esse quadro seja do sul. Contudo, não estão descartadas opções nordestinas como o governador do Maranhão, Flávio Dino. O fato é que essa indicação, pela leitura que se faz, deve ser mesmo do PSB.

Em Pernambuco, não há muita surpresa. Petistas pedirão votos em 2022 para o candidato do PSB, que esta coluna apurou que nunca deixou de ser o ex-prefeito do Recife e atual secretário de Desenvolvimento Econômico de Pernambuco, Geraldo Júlio. O socialista, é preciso que se diga, tem negado a intenção de concorrer; pelo menos oficialmente.

Ao partido de Lula caberá indicar um dos três nomes que formarão a chapa da Frente Popular em Pernambuco. E Lula quer o Senado porque precisa de aliados de confiança em Brasília para um eventual terceiro governo, a partir de 2023 – o ex-presidente lidera a corrida eleitoral a um ano do pleito.

Portanto, diante desse cenário, ficaria difícil o PSB ficar com duas cabeças na majoritária; o que tornaria inviável uma candidatura do atual governador, Paulo Câmara, à Casa Alta, como dizem ser seu desejo. Câmara, um quadro nacional do PSB, pode terminar o seu mandato e pintar em um eventual ministério lulista.

O que se ouve conversando com socialistas e petistas é o que o acordo é tido como positivo para os dois lados. O PSB, que vai para uma eleição difícil de fim de ciclo, teria o peso e a força do lulismo em seu palanque, que, somada à capacidade da máquina eleitoral da Frente Popular, colocaria Geraldo Júlio em vantagem contra os oposicionistas.

Para o PT, cuja meta número 1 é fazer Lula voltar a subir a rampa presidencial, também é vantagem pois o ex-presidente teria em sua base nacional um PSB coeso e capaz de buscar eleitores fora do espectro que eles, os petistas, seriam incapazes de cooptar.

O povo quer saber: que nome o PSB indicará para vice de Lula?

Blog do Magno 

Exclusivo para este blog, o levantamento do Instituto Opinião, de Campina Grande (PB), mostrando o retrato eleitoral do momento na sucessão estadual, foi excelente para Raquel Lyra (PSDB), muito bom para Miguel Coelho (União Brasil) e razoável para Geraldo Julio (PSB), porque cresceram quase no mesmo tamanho, num espaço de cinco meses. De maio para cá, o cenário mudou. Marília Arraes, que liderava, por exemplo, é hoje carta fora do baralho. O PT, seu partido, está acordado em apoiar o PSB.

Em relação à pesquisa anterior, Raquel oscilou dez pontos positivamente, Geraldo oito pontos e Miguel sete pontos percentuais. Anderson foi o único, dos que estão colocando-se na disputa, que cresceu menos, apenas um ponto, abaixo da margem de erro, que é de 2,2 pontos percentuais para mais ou para menos. Miguel avançou porque, dos três mais citados na oposição, foi o que teve seu nome praticamente oficializado quando se filiou ao DEM, que virou União Brasil.

Também porque é o mais andarilho. Já Raquel, que não se apresenta nem assume que vai entrar na guerra, subiu sem explicações. Provavelmente, pelo espaço que ganhou na mídia como presidente estadual do seu partido, pela aproximação de Caruaru com a Região Metropolitana e pelo fato de ser mulher, que pesa positivamente. O Governo tem uma pesquisa que o pernambucano sinaliza por uma experiência de saia despachando no Palácio das Princesas.

Daí, a razão da inserção da secretária Fernandha Batista (Infraestrutura) passar a ser lembrada, ganhando destaque nas andanças do governador pelo Interior. Geraldo Julio, o único a reverberar em notas pessoais, sem o crivo do partido, que está fora do páreo, ainda é o nome mais forte do PSB, conforme atesta a pesquisa, o que pode, a partir de agora, mudar o rumo da discussão na Frente Popular.

Pesquisa é uma foto do momento, o que define uma eleição é o curso da campanha. A leitura que se pode tirar deste novo cenário do Opinião é que Raquel e Miguel são os mais competitivos da oposição e que Geraldo não está tão desgastado como se ventilou, embora seja, dos nomes postos, o que detém a maior taxa de rejeição. Os números a ele são desfavoráveis em todas as regiões do Estado, mas no Grande Recife é, dentre todos, o que tem ainda a maior taxa de potenciais eleitores.

Bons de largada – Algo que ficou muito claro, na leitura dos números da pesquisa, é que os pré-candidatos partem muito fortes em suas aldeias. É o caso, por exemplo, de Miguel Coelho, que sai do São Francisco com 82% das intenções de votos. Não tão expressivo em percentual quando Miguel, Raquel larga bem no Agreste, sua região, com 44% do eleitorado sinalizando que votaria com ela. Geraldo, por sua vez, tem a maior taxa de intenção dos seus eleitores na região que é mais conhecido, o Grande Recife, com 24%. Já Anderson, que administra Jaboatão, tem mais de 17% do seu eleitorado na RMR.

Abrir palanque – Provável nome a abrir palanque para o presidente Bolsonaro no Estado, o ministro do Turismo, Gilson Machado Neto, se situou na pesquisa dentro da margem de erro de 2,2 pontos percentuais para mais ou para menos. Também dos que estão colocados é ainda o menos conhecido e também nunca assumiu que é candidato a governador. Quando passou por Sertânia, na semana passada, Bolsonaro, entretanto, já o tratou de “futuro governador de Pernambuco”.

Rejeição e vitrine – Surpresa crescente na pesquisa, Miguel Coelho tem potencial para se apresentar mais competitivo ainda por ser o nome com a menor taxa de rejeição entre os mais conhecidos. Perde apenas para Gilson Machado. Outra vantagem de Miguel: tem uma vitrine para mostrar ao longo da campanha: a gestão com maior índice de aprovação no Estado, com percentuais acima de 90% de ótimo e bom.

Só derrotas – Ao se manter no PT, Marília Arraes tende a sofrer o terceiro revés da sua trajetória política, ficando fora do páreo. O primeiro foi na eleição de 2018, quando as pesquisas apontavam seu favoritismo e o PT se abraçou com Paulo Câmara. Na eleição passada, o PT apoiou Marília na disputa pela Prefeitura do Recife da boca pra fora. E agora, pelo que rola nos bastidores, fará tudo para queimar até a sua indicação para a disputa pelo Senado na chapa encabeçada pelo PSB.

Câmara reprovado – O Governo Paulo Câmara é rejeitado por mais da metade dos pernambucanos, segundo atesta o levantamento do Opinião. Dos entrevistados, 52,1% disseram que reprovam sua administração ante 36,6% que aprovam. É, de longe, o campeão em desaprovação no Estado. Nem Joaquim Francisco, na pior fase, alcançou índices tão negativos. Difícil acreditar que possa se recuperar em tão pouco espaço de tempo, mesmo com R$ 5 bilhões em caixa para tocar obras.

CURTAS

POR REGIÃO – Por região, a que pior avalia o Governo Paulo Câmara é a Zona da Mata. Dos entrevistados, 32% disseram que reprovam a gestão, seguindo-se o Agreste, com 30%, a Região Metropolitana, com 25%, o Sertão geral, com 22% e o São Francisco, com 11%. É por essas e outras que deve ficar no Governo até o fim, sem se aventurar a disputar o Senado ou uma vaga na Câmara dos Deputados.

BOLSONARO, O PIOR – Pior que Paulo Câmara no Estado é a situação do Governo Bolsonaro. Segundo o Opinião, 70% dos pernambucanos reprovam a gestão do presidente. Entre os que aprovam, apenas 24%. A maior rejeição do Governo Federal está no Sertão. Ali, segundo o levantamento, 84% dos entrevistados consideram ruim e péssimo.

Perguntar não ofende: Bolsonaro terá palanque em Pernambuco?