Miss Dourada

Gordo Construções
AC- Assessoria Contábil e Tributária
Dr. Fred Barros
Odonto Center
Sertão Online
Supermercado Queiroz
PASC – Mais Saúde
Dr. Gilson Brito

CLIQUE NA IMAGEM PARA AMPLIAR

Jailson Pneus
Restaurante Império Gourmet SJE
BMG Correspondente Antônio Filho
F. e P. Droga Center
Clínica Santa Lúcia
Casa Shopping Center
ADRIANTUR
Costa Lira
Informatic Center
Eduardo da Fonte
Farmácia Boa Saúde
Centro Clinico
Eletro Móveis
Deixe Seu Like

Em defesa da candidatura do ex-presidente lula do STF

Coluna Fogo Cruzado – 3 de abril de 2018

 Sobre comentário desta coluna de que o ex-ministro Joaquim Barbosa estaria para o PSB como o apresentador de TV, Luciano Huck, estaria para o PPS, o deputado federal Danilo Cabral (PSB) enviou a seguinte resposta: “Prezado colunista, sobre o comentário em sua coluna hoje (2) destaco algumas posições no sentido de quebrar preconceitos contra a possível candidatura do ex-ministro Joaquim Barbosa ao cargo de presidente da República pelo PSB. O fato de não ter uma carreira política não significa que o ex-ministro não tenha um pensamento político. Ele, diferente das ‘figuras populares’ citadas por você (Sílvio Santos e Luciano Huck), teve sua trajetória dedicada ao Estado Brasileiro como procurador e magistrado, expressando, assim, através de suas decisões, seu pensamento político progressista. Passar pelo parlamento nunca garantiu capacidade de gestão e diálogo institucional com a sociedade. Os últimos presidentes da Câmara Federal, Henrique Alves e Eduardo Cunha, por exemplo, estão presos Relembremos também que o diálogo entre o ex-ministro e o PSB foi iniciado ainda por Eduardo Campos, que em 2014 desejava tê-lo como candidato ao Governo do Estado do Rio. Logo, a opção do PSB pelo nome dele não é uma aventura e sim a continuidade do projeto político defendido pelo nosso saudoso ex-governador para o Brasil. Por fim, destaco Joaquim Barbosa como um homem de convicções fortes, capaz de exercer sua autoridade, e não o autoritarismo como alguns outros. Sua candidatura, inclusive, talvez seja a única maneira de impedir que esse autoritarismo tome conta do nosso país”.

A luta continua

Ao defender o nome de Joaquim Barbosa para ser candidato do PSB a presidente da República, Danilo Cabral (PSB) não leva em conta que foi ele, como presidente do STF e então relator do processo do “mensalão”, quem mandou para a cadeia José Dirceu (PT), ex-chefe da Casa Civil do governo Lula. Por isso, o esforço do PSB para atrair o PT para a Frente Popular não cessará.

A troca – A direção nacional do PT já comunicou oficialmente à do PSB que o partido só apoiará a reeleição de Paulo Câmara se os socialistas “sacrificarem” a candidatura de Márcio Lacerda (ex-prefeito de BH) ao governo de MG. Em princípio, o PSB não está disposto a aceitar a proposta.

O diálogo – Pernambuco talvez sofra um pouco com a troca de nomes no Ministério dos Transportes. Saiu Maurício Quintella, deputado federal por AL, e entrou Válter Casemiro. Quintella tinha ótimo diálogo com o secretário Sebastião Oliveira, também deputado pelo PR.

Ao trabalho – Embora o STF só tenha tido 196 dias úteis em 2017, segundo a Folha de São Paulo, o gabinete do ministro Edson Fachin informou ao advogado pernambucano José Paulo Cavalcanti Filho que julgou naquele exercício 8.820 processos. Dá, em média, 45 processos/dia.

Volta atrás – Após anunciarem o desligamento do PPS em protesto contra a entrega do partido a Daniel Coelho (ex-PSDB), os ex-presidentes estadual e municipal, Manoel Carlos e Felipe Ferreira Lima, respectivamente, voltaram atrás. Fizeram ontem uma convenção e registraram a ata no TRE.

A janela – Até a próxima sexta-feira, quando estará se fechando a “janela partidária”, pelo menos cinco deputados estaduais deverão trocar de partido. Foram para a ponta do lápis e chegaram à conclusão de que em seus atuais partidos não terão chance de reeleição.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *