Casa Shopping Center
Dr. Diego Aragão
O Centenário
Costa Lira
Informatic Center

Dr. Roberto Calumbí

Dr. Gilson Brito
Centro Clinico
Verónica Alexandre
Deixe Seu Like

Pernambuco deu três estadistas ao Brasil e São Paulo nenhum

Coluna Fogo Cruzado – 11 de outubro de 2018

Pernambuco deu ao Brasil Frei Caneca, Joaquim Nabuco e Agamenon Magalhães

Vez por outra, um engraçadinho (a) do Sul/Sudeste coloca nas redes sociais que o Nordeste é o estorvo do Brasil. Uma região de analfabetos por ter dado a vitória a Haddad no 1º turno da eleição presidencial. Por causa desse ódio aos nordestinos, o presidente da OAB-PE, Ronnie Duarte, pediu providências ao Ministério Público Federal para apurar os responsáveis por esse tipo de postagem. É perda de tempo, pois esses idiotas dificilmente serão identificados. O Nordeste tem que dar a resposta recorrendo à História, como costumava fazer Tancredo Neves (que falta ele está fazendo ao Brasil!). O sábio mineiro costumava dizer que o poderoso São Paulo, que tem ¼ dos eleitores do Brasil, nunca deu um estadista. Pernambuco deu Frei Caneca, Joaquim Nabuco e Agamenon Magalhães, para citar apenas esses três. E o que nos legou São Paulo nos últimos dois séculos? Ademar de Barros (o homem do “rouba mas faz”), Quércia (que Deus o tenha!) e Maluf (para citar também apenas três). Poderão dizer que FHC seria a exceção, mas isso é falso. Ele nasceu no Rio de Janeiro. Os que discriminam os nordestinos (lá em São Paulo é o que mais se vê), certamente eleitores de Bolsonaro, deveriam fazer o que ele fez anteontem em entrevista ao Jornal Nacional: “Quero ser presidente para unir o Brasil”.

Reduto de Lula e não do PT

Paulistas preconceituosos criticam o Nordeste por ser supostamente “reduto cativo” do PT. Não é verdade. O Nordeste pode até ser reduto de Lula, que muito fez pela região quando era presidente da República, mas não do PT. Em Pernambuco, por exemplo, Haddad, candidato de Lula, bateu Bolsonaro no 1º turno. Mas o PT elegeu apenas 2 deputados federais e 3 estaduais.

Sem partido – O vereador recifense Jayme Asfora, que não conseguir eleger-se deputado estadual, desligou-se ontem do PROS. Trocou o MDB por esse partido na esperança de encontrara mais “democracia interna”, mas se enganou. Vai ficar sem partido até abril de 2020.

Duas correções – Diferentemente do que se disse ontem na coluna, quatro deputados estaduais ampliaram suas votações em relação a 2014: Lucas Rampos (PSB), Joel da Harpa (PP), Rodrigo Novaes (PSD) e Clodoaldo Magalhães (PSB). Também está errada a informação de que Haddad perdeu em Petrolina.

A inversão – Como candidata a prefeita de Olinda em 2016, Luciana Santos (PCdoB) ficou em 4º lugar. Hoje é vice-governadora eleita e o candidato que o derrotou, Professor Lupércio (SD), não conseguiu eleger a mulher para a Assembleia Legislativa. A política só tem graça por causa disto.

A volta – O PCdoB garantiu também a eleição do ex-prefeito Renildo Calheiros para a Câmara Federal, um dos poucos de Olinda que se salvaram. Perderam a eleição os candidatos a deputado estadual Ricardo Costa (PP), Izabel Urquisa (PSC), Antonio Campos (Podemos) e Cláudia de Lupércio (SD). E o candidato a deputado federal André Siqueira (Patrriota).

A força – Júnior Matuto (PSB), prefeito de Paulista, deu a vitória em seu município aos seus candidatos a governador (Paulo Câmara), senadores (Jarbas e Mendonça) e deputado federal (João Campos). Mas seu estadual, Francismar Pontes, perdeu feito pela Gleide Ângelo (PSB).

Resultado de imagem para juntasDesnecessário – Eleito deputado estadual em 2014 porque realizou uma coligação eleitoral com o PMN, Edilson Silva se autointitulou como o mandato necessário na Assembleia Legislativa de Pernambuco, porém o que se viu foi ao longo de quase quatro anos um parlamentar pouco expressivo. As urnas do último domingo mandaram Edilson pra casa, evidenciando que ele é desnecessário para Pernambuco.

Juntas – O PSOL, partido de Edilson Silva, não ficou sem representação na Alepe com a sua saída, pois elegeu o mandato coletivo das Juntas, um grupo de cinco mulheres que se uniram para eleger uma representante. Este grupo será representado por Jô Cavalcanti, inovando na política e mostrando uma boa ideia para representar setores da sociedade.

Dani Portela – Por falar no PSOL, Dani Portela merece o registro de ter obtido o melhor resultado do partido em disputas majoritárias em Pernambuco. Extremamente qualificada para o debate, Dani atingiu quase 200 mil votos, resultado que a credenciou para missões mais importantes, como por exemplo ser vereadora do Recife na próxima eleição e colocar em prática toda sua competência demonstrada na campanha deste ano.

Sebastião Oliveira – O deputado federal reeleito Sebastião Oliveira foi o quarto mais votado de Pernambuco com 129.978 votos e ao lado de André de Paula, eles foram os únicos reeleitos que ampliaram a votação em relação a 2014, os demais que foram reeleitos,  todos baixaram seus votos em relação ao pleito anterior.

Força – A vitória de Gustavo Gouveia para deputado estadual como o mais votado da oposição consolidou a força política do prefeito de Paudalho, Marcelo Gouveia, que é a maior liderança da Mata Norte a partir de agora.

RÁPIDAS

Silvio Costa Filho – Além de ter sido o segundo mais votado da chapa da oposição, Silvio Costa Filho é o presidente do único partido da coligação de Armando Monteiro que elegeu mais de um deputado federal. Mas ele também tem que comemorar o fato de o PRB ter superado DEM, PSDB, PSC e PTB em bancada nacional, tornando-se o principal partido da oposição em Pernambuco.

Romero Albuquerque – Eleito vereador do Recife em 2016, Romero Albuquerque deu mais um salto na sua carreira política tornando-se deputado estadual no último domingo com quase 30 mil votos. Expoente da defesa da causa animal, Romero terá condições de levar sua atuação para todas as regiões de Pernambuco a partir de 2019.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *